domingo, 4 de dezembro de 2016

CABO FRIO – Reflexão sobre a tragédia da Praia do Forte

É inadmissível que ainda aconteça esse tipo de acidente bárbaro. É muito difícil se colocar no lugar das pessoas envolvidas sem sentir uma mistura de emoções...

Li muitos comentários no facebook antes de escrever, passei a noite refletindo, pensando sobre essa situação tentando entender.

A história que li sobre a menina é que ela era de Rio das Ostras e estava aqui em Cabo Frio curtindo o final de semana com uma amiguinha e sobre os cuidados dos pais da coleguinha, imagina que dor nesse momento, ter que devolver a criança para os pais depois desse trágico acidente.

Sobre o acidente, o que sabemos é que a BANANA BOAT foi atropelada pela LANCHA MISTER BOO enquanto estava com banhistas fazendo o passeio, testemunhas dão conta que o piloto da lancha estava embriagado.

O bombeiro que fez o resgate das vitimas ficou em choque quando localizou apenas a cabeça da criança preso na banana boat, o corpo da criança foi encontrado apenas às 20h por mergulhadores.

Em Cabo Frio NÃO EXISTE teste de alcoolemia no mar por alguns motivos:

- A Capitania dos Portos possui o equipamento para realizar os testes, porém não tem efetivo suficiente para realizar o trabalho no mar.

- Seria necessário um convênio ou acordo para que a POLÍCIA MILITAR disponibilizasse alguns policiais para que esse trabalho fosse realizado e se fosse atestado algum condutor de lancha ou motonauta conduzindo sob o efeito de álcool a PM pudesse conduzir a ocorrência para a delegacia.

- Seria necessário o apoio da Guarda Marítima no que diz respeito a fiscalização e orientação no mar e nas praias, recebemos a informações que a Guarda Marítima não está operando por falta de estrutura e manutenção dos equipamentos além da falta de pagamentos.

- É muito comum em Cabo Frio ver pessoas em suas embarcações tirando onda nas praias, nas ilhas ou até indo para outros municípios com o estoque de cerveja, vodka e energético completos, fazendo churrasco a bordo durante todo o dia e no final do passeio voltando para as marinas para guardar o “brinquedo” que só é usado no verão. Você acredita que o ‘condutor’ não bebeu nada?

Ainda não chegamos no verão, a alta temporada está batendo em nossa porta e já contamos com esse trágico acidente, é inadmissível que tenhamos que refletir sobre nossa segurança nas praias quando acontece acidente. Não é a primeira vez que isso acontece, já tivemos um bombeiro que teve ser braço dilacerado por uma lancha, já tivemos um barco que virou e matou muitos turistas, já tivemos turista que sumiu no mar... Todos os acidentes foram causados por IMPRUDÊNCIA e consequentemente FISCALIZAÇÃO PRECÁRIA!


Quem paga a conta dessas tragédias anunciadas são as famílias que saem de casa para se divertir na praia e voltam pra casa com seu parente dentro de um caixão. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário