terça-feira, 1 de novembro de 2016

CABO FRIO X SEPE X ALERJ - Servidores Municipais aprovam a continuidade da greve e Servidores Estaduais realizam manifestação na ALERJ.

Depois de uma assembleia realizada ontem à noite (31 outubro) no Colégio Edilson Duarte, os funcionários da educação e da saúde decidiram pela continuidade da greve. A decisão foi por unanimidade.

Os servidores aprovaram o seguinte calendário:

> Integrar o calendário de luta municipal ao calendário nacional com atos nos dias 11, 20 e 25, com assembleia no dia 17;

> Formação da comissão para negociação com o novo governo entre SepeLagos e SindSaúde. Foram escolhidos 3 representantes de cada direção e 3 de cada base.

Ainda na data de ontem o SEPE fez uma convocação para os profissionais da REDE ESTADUAL para que os mesmos fossem hoje na ALERJ para participar de um ato de protesto, segue a publicação do SEPE:

ATENÇÃO!!!


O Sepe convoca os profissionais da rede estadual para que compareçam nesta terça-feira (dia 01/11), a partir das 14h, na Alerj, para participar do ato protesto do funcionalismo contra a implementação do projeto do governador Dornelles/Pezão do "Estado de Calamidade Pública" no Rio de Janeiro. O sindicato recebeu a informação de que o projeto foi incluído na pauta de votação e deverá ser levado ao plenário da Alerj na tarde desta terça-feira (dia 01/11). Outras categorias do funcionalismo estadual deverão se juntar aos profissionais de educação para participar do protesto e barrar a votação deste projeto.
Com a implantação do Estado de Calamidade Pública, o governo estadual ameaça ainda mais os nossos direitos e cria mecanismos para que não sejam cumpridas obrigações como o pagamento em dia de salários e benefícios, além de possibilitar o corte de mais direitos e ameaçar a estabilidade dos servidores, entre outros malefícios. 

A proposta foi enviada por Dornelles para a Alerj no dia 25/10 e já recebeu dezenas de emendas, entre elas a que impede o corte nos salários dos servidores. Não podemos permitir que o governo estadual coloque nas nossas costas a responsabilidade da crise econômica e do caos financeiro na administração estadual. 
Nenhum direito a menos!

Um comentário:

  1. O Estado do Rio de Janeiro caminha para o caos e pra barbárie, e a maioria das pessoas ainda não se deram conta para o caminho tenebroso para o qual estamos caminhando.

    ResponderExcluir